top of page

Diminuição da imunidade após amigdalectomia: mito ou realidade?

Atualizado: 29 de abr. de 2023

Como as amígdalas desempenham um papel no sistema imunológico, é compreensível que haja preocupações sobre a diminuição da imunidade após amigdalectomia. Vejamos:


Amigdalectomia é um procedimento cirúrgico que envolve a remoção das amígdalas, sendo uma das cirurgias mais realizadas no mundo. Popularmente, existe uma crença de que pode levar a uma diminuição da imunidade com aumento das dores de garganta ou faringites no pós-operatório. Isso pode confundir alguns pais e pacientes. Neste artigo, vamos explorar se essa crença é um mito ou realidade.

O que são as amígdalas?

As amígdalas são pequenas glândulas localizadas na parte posterior da garganta, que fazem parte do sistema imunológico e desempenham um papel na proteção do corpo contra infecções. As amígdalas contêm células que combatem bactérias e vírus que entram no corpo pela boca e nariz.

Quando a remoção das amígdalas é necessária?

Geralmente, a amigdalectomia é recomendada em casos de amigdalite recorrente, que pode levar a sintomas como dor de garganta, febre, dificuldade para engolir e mau hálito. Outras condições que podem levar à remoção das amígdalas incluem apneia do sono, infecções crônicas das amígdalas, halitose e abscessos.



O Sistema Imunológico e a Amigdalectomia:

Há uma crença comum de que a amigdalectomia pode levar a uma diminuição da imunidade. A teoria por trás dessa crença é que as amígdalas desempenham um papel crucial no sistema imunológico e que removê-las pode enfraquecer a capacidade do corpo de combater infecções. No entanto, essa crença não é correta.

Diminuição da imunidade após amigdalectomia: mito ou realidade?

Muitas pessoas acreditam que a remoção das amígdalas pode enfraquecer o sistema imunológico do corpo, deixando o indivíduo mais suscetível a infecções e doenças. No entanto, não há evidências científicas que apoiem essa crença. De fato, estudos mostram que a remoção das amígdalas não afeta significativamente a imunidade do corpo a longo prazo.

As amígdalas são apenas uma parte do sistema imunológico e sua remoção não afeta a função geral da nossa imunidade. Esse sistema é uma rede complexa de células, tecidos e órgãos que trabalham juntos para proteger o corpo de patógenos nocivos, como vírus e bactérias. Além das amígdalas, existem muitos outros componentes que trabalham juntos para combater infecções, como gânglios linfáticos, glóbulos brancos, fígado e baço.

Estudos demonstraram que os indivíduos que foram submetidos à amigdalectomia não apresentaram maior incidência de infecções em comparação com aqueles que não foram, pelo contrário.

Em um estudo publicado na revista Otolaryngology-Head and Neck Surgery, os pesquisadores compararam a função imunológica de crianças submetidas à amigdalectomia com aquelas que não foram submetidas. O estudo constatou que não houve diferença significativa na função imunológica entre os dois grupos.

Outro estudo publicado no Journal of Immunology Research comparou a função imunológica de adultos submetidos à amigdalectomia com aqueles que não foram submetidos a amigdalectomia, sem demonstrar diferenças significativas.

Então fique tranquilo, se existe indicação para a remoção das amígdalas , o procedimento deve ser realizado sem grandes repercussões para a imunidade do paciente.

Na dúvida, não deixe de procurar o seu médico otorrino para receber a orientação correta. Conte comigo.


Responsável técnico: Dr. Bruno Rossini (CRM-SP 115697; RQE:34828)

Clinica Oto One- São Paulo




1.653 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page