top of page

Magali não sabia que enxaqueca também dava tontura….

Atualizado: 18 de jul. de 2023

Magali é uma jovem de 25 anos que tem enfrentado um desafio significativo em sua vida: uma condição chamada migrânea vestibular. Essa condição é uma forma de enxaqueca que afeta o sistema vestibular, responsável pelo equilíbrio e coordenação do corpo.

Magali vinha sofrendo há anos com crises intensas de tontura, náusea e desequilíbrio, que afetavam muito a sua qualidade de vida. Ela tinha dificuldade para sair de casa, fazer atividades simples e até mesmo trabalhar. As crises eram imprevisíveis e aconteciam em momentos diversos, o que a deixava bastante angustiada. Um fato curioso, ela notava piora quando comia queijo e tomava vinho…

Durante as crises, Magali sentia uma tontura intensa, como se o mundo estivesse girando ao seu redor. Ela também tinha náuseas e vômitos, que pioravam a sua condição. Além disso, sentia dificuldade para se locomover, pois o desequilíbrio afetava a sua coordenação motora.

Magali buscou ajuda médica de um otorrino e, após várias consultas e exames, foi diagnosticada com migrânea vestibular. O tratamento envolveu medicações específicas para controlar a enxaqueca e melhorar a função vestibular. Além disso, o médico otorrinolaringologista a orientou sobre algumas medidas que poderiam ajudar a evitar as crises.


Migrânea Vestibular: Como identificar e tratar essa condição





A migrânea vestibular é uma condição pouco conhecida, mas que afeta muitas pessoas ao redor do mundo. Ela pode prejudicar significativamente a qualidade de vida, causando sintomas como tontura, vertigem, náusea e vômito. Neste artigo, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre a migrânea vestibular e oferecer informações precisas sobre como identificar e tratar essa condição.


O que é migrânea vestibular?

A migrânea vestibular é uma forma de enxaqueca que afeta o sistema vestibular, responsável pelo equilíbrio e pela orientação espacial. Embora os mecanismos exatos que causam a migrânea vestibular ainda não sejam completamente compreendidos, sabe-se que ela pode ser desencadeada por diversos fatores, como estresse, alterações hormonais, consumo de certos alimentos e bebidas, entre outros.

Quais os sintomas da migrânea vestibular?

Os sintomas da migrânea vestibular podem variar de pessoa para pessoa, mas geralmente incluem tontura, vertigem, náusea, vômito e sensibilidade à luz e ao som. Além disso, algumas pessoas podem apresentar perda de equilíbrio e dificuldade para se movimentar. Esses sintomas podem durar horas ou dias e podem ser bastante debilitantes.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da migrânea vestibular é feito por um médico especialista, como um otorrinolaringologista. Ele é baseado nos sintomas apresentados pelo paciente e em exames clínicos e neurológicos. O médico pode realizar um exame vestibular para avaliar a função do labirinto e descartar outras condições que podem causar sintomas semelhantes, como a doença de Menière.


Além de um check up clinico-laboratorial, costumamos solicitar uma audiometria, imitanciometria, otoneurológico completo (VENG), eletrococleografia e ressonância de orelhas internas.

Como é realizado o tratamento?

O tratamento da migrânea vestibular pode incluir medicamentos para aliviar os sintomas, como anti-inflamatórios, antieméticos e analgésicos. Além disso, pode ser recomendado o uso de terapias complementares, como acupuntura, fisioterapia e terapia cognitivo-comportamental. Em alguns casos, a mudança do estilo de vida, como evitar alimentos e bebidas que desencadeiam a enxaqueca, reduzir o estresse e manter uma rotina saudável de sono e exercícios físicos pode ajudar a prevenir a ocorrência da migrânea vestibular.

Quais são as orientações mais importantes para evitar crises de migrânea vestibular?


Embora a migrânea vestibular não possa ser completamente prevenida, algumas medidas podem ser tomadas para minimizar o risco de ocorrência da condição. Evitar alimentos e bebidas que desencadeiam a enxaqueca, reduzir o estresse, manter uma rotina saudável de sono e exercícios físicos, e evitar ambientes com luzes e sons intensos podem ajudar a prevenir a ocorrência de crises.


Algumas orientações importantes para evitar crises de migrânea vestibular incluem:

1. Evitar gatilhos alimentares: Algumas pessoas podem ter crises de migrânea vestibular devido a alimentos que desencadeiam enxaquecas. Alguns dos alimentos mais comuns incluem queijos envelhecidos, chocolate, álcool e alimentos ricos em nitratos e nitritos.

2. Dormir bem: Dormir bem é fundamental para evitar crises de migrânea vestibular. Ter uma rotina de sono regular e dormir de 7 a 8 horas por noite pode ajudar a prevenir ataques.

3. Reduzir o estresse: O estresse é um gatilho comum para a migrânea vestibular. Encontrar maneiras de reduzir o estresse, como praticar ioga, meditação, exercícios de respiração ou outras técnicas de relaxamento, pode ajudar a prevenir crises.

4. Evitar excesso de luz e ruído: A luz forte e ruídos altos podem ser desencadeadores de crises de migrânea vestibular. Evite ambientes muito iluminados e barulhentos sempre que possível.

5. Fazer exercícios físicos regulares: Fazer exercícios físicos regularmente pode ajudar a reduzir o risco de crises de migrânea vestibular. Exercícios aeróbicos, como caminhar, correr ou andar de bicicleta, podem ajudar a reduzir o estresse e melhorar a qualidade do sono.


6. Evitar mudanças bruscas de movimento: Movimentos bruscos ou mudanças rápidas de posição podem desencadear crises de migrânea vestibular. Evite movimentos rápidos, como girar rapidamente a cabeça, e tente se levantar lentamente.


7. Manter-se hidratado: A desidratação pode ser um fator desencadeante para a migrânea vestibular. Beber bastante água e outros líquidos saudáveis pode ajudar a prevenir crises.

Lembre-se que é importante consultar um médico se você estiver tendo sintomas de migrânea vestibular para obter um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado.

A migrânea vestibular é uma condição que pode afetar significativamente a qualidade de vida das pessoas, mas com o tratamento adequado, é possível aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.



Responsável técnico: Dr. Bruno Rossini (CRM-SP 115697; RQE:34828)

Clinica Oto One- São Paulo


2.862 visualizações0 comentário

Comentarii


bottom of page