Paralisia Facial Periférica (PFP): paralisia da face

Saiba mais sobre a paralisia facial:

O que é a Paralisia Facial Periférica?

A Paralisia Facial Periférica ou paralisia da face é a perda de movimentação dos músculos do rosto, responsáveis pela expressão facial. Essa paralisia ocorre devido ao acometimento do nervo facial, que é o responsável pela inervação da musculatura da face.

 

 

Quais são os sintomas mais comuns da paralisia facial?

As principais manifestações da paralisia da face são:

 

  • Entortamento da boca (boca torta)

  • Dificuldade de fechamento do olho

  • Sensação de olho seco

  • Mudança do paladar

  • Zumbido no ouvido

Quais são as causas mais frequentes da paralisia facial periférica?

Diversas são as causas da paralisia da face. A mais comum é a chamada Paralisia de Bell, que, apesar de idiopática (causa desconhecida), acredita-se estar relacionada a uma resposta do nosso organismo a um vírus. A paralisia facial periférica também pode ocorrer em decorrência traumas, tumoes, otites, doenças auto imunes, alterações metabólicas, entre outras.

 

Atenção! É importante saber que a paralisia da face também pode ser causada por uma doença mais séria, como o AVC (Acidente Vascular Cerebral) popularmente chamado de derrame. Neste caso, não há acometimento de toda a metade da face, ou seja, os olhos e testa continuam a se movimentar normalmente. Somente o médico pode realizar o diagnóstico corretamente e identificar qual o tipo de paralisia facial.

 

O que fazer caso apresente algum sintoma sugestivo de paralisia da face?

Ao apresentar alguma manifestação que sugira um quadro de paralisia facial, procure um médico otorrinolaringologista o quanto antes para que seja feito o diagnóstico correto e introduzido o tratamento adequado.

 

Como é feito o diagnóstico de paralisia facial periférica?

A paralisia facial é diagnosticada através do exame físico. Entretanto, para se estabelecer a sua causa, é necessária a realização de alguns exames como audiometria (de audição), exames de sangue, de imagem (tomografia e/ou ressonância), eletrofisiológicos, entre outros.

A determinação da causa e indicação do tratamento da paralisia facial a ser seguido, somente poderá ser feito por um médico sendo o Otorrinolaringologista, o especialista mais apropriado a ser consultado nos casos de paralisia da face.

 

Como é feito e quando iniciar o tratamento da paralisia facial periférica?

A depender da causa, do grau de acometimento, do tempo desde o início dos sintomas e do tipo de paralisia facial estará indicado um tipo de tratamento. Entre as opções temos uso de medicamentos, fisioterapia, fonoterapia ou até mesmo cirurgia.  A fonoterapia está sempre indicada no tratamento da paralisia da face, entretanto, a mesma deve ser realizada sem a utilização de corrente galvânica ("choquinhos").

 

É importante que o tratamento da paralisia facial seja iniciado o mais precocemente possível, uma vez que, quanto antes for iniciado, maior será a chance de recuperação e menor a chance de sequelas em decorrência da paralisia.

 

 

Há algum cuidado especial que deve ser tomado em caso de paralisia da face?

O cuidado mais importante a ser tomado nos casos de paralisia facial é a proteção ocular (do olho). Isso porque, com o movimento da pálpebra diminuído, o olho fica seco e teremos o risco de complicações como úlcera de córnea e cegueira. Esse cuidado inclui o uso de colírio e pomada, que ajudarão na prevenção das complicações.

Agora, se você quer orientações mais detalhadas sobre a paralisia facial, deixe seu e-mail aqui, que nós enviaremos para você.

CONTATO:

  • facebook ototone
  • instagram otoone
  • youtube otoone
  • Dr. Bruno Rossini
  • Dra. Renata Curi

Endereço: R. Cubatão, n°86, conj. 1407
Bairro: Paraíso | São Paulo/SP

Fone: (11) 4301-6874 | 2389-7016 | 99949-7016
Email: contato@otovita.com.br