top of page

Otite média aguda: entenda a dor de ouvido relacionada a gripes, resfriados e sinusite? Será o caso de seu filho? 


A otite média aguda (OMA) é uma infecção comum em crianças e pode ser causada por diversos micro-organismos. A maioria dos casos é decorrente de uma infecção viral do trato respiratório superior que se espalha para o ouvido médio. O desenvolvimento da OMA é mais comum em crianças com menos de dois anos de idade, principalmente em crianças que frequentam creches, devido à exposição frequente a outros indivíduos infectados.


Os sintomas mais frequentes da OMA incluem dor de ouvido, febre e diminuição da audição. Em crianças pequenas, os sintomas podem ser menos específicos, incluindo irritabilidade, choro frequente e dificuldade para dormir. A avaliação clínica cuidadosa é fundamental para o diagnóstico da OMA, que é baseado na presença de sintomas específicos e confirmado pela observação de alterações no tímpano, como vermelhidão, abaulamento ou opacificação. Por vezes, devido ao acúmulo de secreção na orelha média, a membrana timpânica pode romper, causando uma eliminação de secreção amarelada pela orelha afetada. 





Além da avaliação clínica, outros exames podem ser indicados para confirmar o diagnóstico da OMA e avaliar a gravidade da infecção. A timpanometria é um exame não invasivo que mede a mobilidade do tímpano e pode ajudar a avaliar a presença de líquido no ouvido médio. A audiometria também pode ser realizada para avaliar a perda auditiva em crianças com infecções recorrentes ou persistentes. A tomografia computadorizada do ouvido pode ser indicada em casos de infecções graves ou suspeitas de complicações. 


Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem em alguns dias e a infecção é resolvida sem complicações. No entanto, em alguns casos, a infecção pode se espalhar para outras partes do ouvido, como o ouvido interno, causando complicações mais graves, como labirintite, perda auditiva ou meningite. 


O tratamento da otite média aguda (OMA) em crianças depende da gravidade dos sintomas e da presença de complicações. Em casos leves, a terapia de suporte, como analgésicos e compressas quentes no ouvido, pode ser suficiente para aliviar a dor e a febre. A utilização de antibióticos deve ser cuidadosamente monitorada, pois pode aumentar o risco de resistência bacteriana e efeitos colaterais.


Em casos moderados a graves, o tratamento com antibióticos é indicado para combater a infecção bacteriana subjacente. Os antibióticos mais comuns para o tratamento da OMA incluem amoxicilina, amoxicilina-clavulanato e cefuroxima. O tratamento com antibióticos deve ser iniciado o mais rápido possível em crianças com sintomas graves, como febre alta ou dor de ouvido intensa, e em crianças com fatores de risco para complicações, como doenças imunossupressoras ou antecedentes de OMA recorrente.


Em resumo, o tratamento da otite média aguda em crianças envolve uma abordagem personalizada, levando em consideração a gravidade dos sintomas e a presença de complicações. A terapia de suporte pode ser suficiente em casos leves, enquanto o tratamento com antibióticos é recomendado em casos moderados a graves. É importante lembrar que o uso indiscriminado de antibióticos deve ser evitado, pois pode aumentar o risco de resistência bacteriana e efeitos colaterais. 


Na dúvida, consulte seu médico otorrino de confiança. 






Dr. Bruno Rossini (CRM-SP 115697; RQE:34828)

Clinica Oto One- São Paulo


Comments


bottom of page