top of page

Nódulos cervicais: linfonodos cervicais aumentados. Entenda mais:

Atualizado: 29 de abr. de 2023

As adenopatias cervicais são um achado comum em pacientes que visitam médicos otorrinolaringologistas. Podemos achar muito estranho o aparecimento de caroços no pescoço, mas fique calmo, nas crianças, em 95% dos casos trata-se de uma condição benigna. Já em adultos, a taxa de causas malignas aumenta com o avançar da idade. O aumento dos gânglios linfáticos cervicais pode ser indicativo de uma condição médica subjacente ou de uma resposta fisiológica normal. O objetivo deste artigo é discutir o conceito, as causas e o diagnóstico das adenopatias cervicais pelo médico otorrinolaringologista.

O que são adenopatias cervicais?

As adenopatias cervicais são linfonodos aumentados localizados na região do pescoço. Os gânglios linfáticos são pequenas estruturas em forma de feijão que filtram e retêm substâncias estranhas, como bactérias e vírus, do fluido linfático. Eles desempenham um papel crucial na defesa do sistema imunológico contra infecções e doenças.


Tipos de linfonodos cervicais

Existem diferentes grupos de gânglios linfáticos cervicais, cada um servindo uma região específica da cabeça e pescoço. Esses incluem:

  • Linfonodos submentonianos

  • Linfonodos submandibulares

  • Linfonodos jugulodigástricos

  • Linfonodos cervicais profundos superiores

  • Linfonodos cervicais profundos inferiores

  • Linfonodos do triângulo posterior

Causas de nódulos cervicais

Os nódulos cervicais podem ser causados por vários fatores, incluindo infecções, inflamação, câncer e distúrbios autoimunes.

Infecções

As infecções são a causa mais comum de adenopatias cervicais. Os gânglios linfáticos aumentam de tamanho enquanto tentam combater os patógenos invasores. Infecções comuns que causam adenopatias cervicais incluem:

  • Infecções do trato respiratório superior (gripes, resfriados, faringites...)

  • Infecções de ouvido

  • Infecções dentárias

  • Tuberculose

  • mononucleose infecciosa

  • HIV/AIDS

Inflamação

Condições inflamatórias também podem causar adenopatias cervicais. Esses incluem:

  • Artrite reumatoide

  • Lúpus

  • Sarcoidose

Congênitos (nasceram com a criança):

  • Cisto tireoglosso

  • Cistos branquiais

Câncer

Adenopatias cervicais também podem ser indicativas de câncer. Os gânglios linfáticos aumentam de tamanho enquanto tentam conter a propagação das células cancerígenas. Em crianças essa causa corresponde a 5% dos casos. Os cânceres mais comuns que causam adenopatias cervicais incluem:

  • Cânceres de cabeça e pescoço

  • Linfoma

  • Leucemia

  • cânceres metastáticos

Distúrbios autoimunes

Distúrbios autoimunes, nos quais o sistema imunológico ataca por engano os próprios tecidos do corpo, também podem causar adenopatias cervicais. Esses incluem:

  • síndrome de Sjogren

  • tireoidite de Hashimoto

  • Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES)

Diagnóstico de adenopatias cervicais

Os médicos otorrinolaringologistas desempenham um papel crucial no diagnóstico de adenopatias cervicais. Uma história médica completa e exame físico são essenciais para identificar a causa subjacente dos gânglios linfáticos aumentados.

Histórico médico

O médico otorrinolaringologista fará perguntas sobre os sintomas do paciente, como quando notaram os gânglios linfáticos aumentados, se estão doloridos e se apresentam algum sintoma associado, como febre, perda de peso ou suores noturnos. O médico também perguntará sobre infecções recentes, exposição a alérgenos ou histórico familiar de doenças autoimunes ou câncer.

Exame físico

O médico otorrinolaringologista realizará um exame físico da região do pescoço para avaliar o tamanho, consistência, sensibilidade e mobilidade dos gânglios linfáticos aumentados. O médico também examinará as orelhas, nariz e garganta em busca de sinais de infecção, inflamação ou câncer.

Testes de diagnóstico

Testes diagnósticos adicionais podem ser necessários para identificar a causa subjacente das adenopatias cervicais. Esses incluem:

  • Exames de sangue para verificar se há infecção, inflamação e marcadores de câncer

  • Ultra som cervical: exame de imagem inicial e muito esclarecedor

  • Punção com agulha fina guiada por US

  • Biópsia dos gânglios linfáticos para verificar se há células cancerígenas ou outras anormalidades

  • Outros estudos de imagem, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética, para avaliar a extensão e disseminação do câncer ou outras condições subjacentes.

Caso você apresente algum nódulo (caroço) aumentado em seu pescoço, procure o seu médico otorrino de confiança o quanto antes. Ele saberá direcionar o diagnóstico e, se for o caso, instituír o tratamento adequado.

Responsável técnico: Dr. Bruno Rossini (CRM-SP 115697; RQE:34828)

Clinica Oto One- São Paulo


7.674 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page